A morte do meu melhor amigo

Abriu a caixa onde guardava recordações à espera de aliviar a dor, como quem abre um baú ansioso por descobrir um tesouro. Entre cada fotografia uma lágrima e um sentimento de perda eterna... ele tinha desaparecido daqui para sempre.

Esboçava um sorriso ao recordar aqueles momentos divertidos que passaram juntos... foram tantos, mas agora sabiam a tão pouco. Soltava uma lágrima quando pensava nas situações difíceis da vida em que estiveram juntos para se apoiar... foram intensas, mas agora pensa que podia ter feito mais e melhor.

O que podia ter ele feito para impedir aquele acidente?? É injusto! – pensava – Ele era uma pessoa espetacular.... Mas não havia mais nada a fazer. Soluçava desalmadamente ao pensar que agora era tarde demais. Como se arrancassem parte dele mesmo. Como se rasgassem o coração em pedaços, num grito silencioso de dor e perda... porque esse amigo morreu.

Como é que se sentiu João? O seu Melhor Amigo foi morto cruelmente... No sábado, João ainda ouvia o som da multidão a dizer “Crucifica-O! Crucifica-O!”. O eco intenso dos pregos a furar o corpo do seu Mestre e companheiro. A imagem chocante do sangue escorrendo no Seu corpo. E finalmente o suspiro final. Jesus morreu.

Naquele sábado, João deve ter-se sentido como qualquer um de nós que perde, abruptamente, o seu melhor amigo. Não restam dúvidas, ao lermos os evangelhos, que João era um dos discípulos mais próximos de Jesus. Durante cerca de 3 anos eles partilharam sucessos, vitórias, lutas e dificuldades. João aprendeu tanto com aquele Amigo, tantas experiências: milagres, curas, lições de vida e uma Vida que falava por si mesma.

Mas João não ficou em desespero por muito mais tempo. Afinal, o seu Amigo era alguém de muito especial. Jesus deu a vida pelos seus amigos (e inimigos) e tornou a tomá-la. Ele venceu a morte e o pecado que nos fazia inimigos de Deus... Ele é o Amigo que continua vivo, paciente e cheio de graça para nos perdoar, ajudar, confrontar e corrigir.

Enquanto é dia e enquanto é tempo, façamos o melhor pelos nossos amigos. E enquanto o Amigo dos amigos não regressa para nos vir buscar, sejamos Seus amigos em todas as coisas, agradando com a nossa vida, as nossas palavras e pensamentos.

Foi Ele que disse: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. João 15:14

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda