21 abril 2008

Fome de autenticidade


"A Igreja, neste momento, precisa de homens prontos a gastarem-se no combate da alma. Tais homens estarão livres das compulsões que controlam os mais fracos, da concupiscência dos olhos, da concupiscência da carne e da soberba da vida.
Eles não serão forçados a fazer coisas sob a pressão das circunstâncias. A sua única motivação virá de dentro e de cima. Esta qualidade de liberdade é necessária se queremos ter de novo profetas nos nossos púlpitos, em vez de mascotes. Estes homens livres servirão a Deus e à humanidade por motivos demasiado elevados para serem compreendidos pelo povo comum que se arrasta hoje para dentro e para fora do santuário.
Eles não tomarão decisões com base no medo, não seguirão qualquer rumo só para satisfazer um desejo, não aceitarão qualquer serviço por razões financeiras. Não praticarão qualquer acto religioso por mero costume. Nem se permitirão a si mesmos ser influenciados por amor da publicidade ou pela ambição de uma boa reputação."

A. W. Tozer

Sem comentários: