Eu e a Amy Winehouse

Nem só de talento viverá o homem

Um grande talento da música inglesa, Amy Winehouse, chegou atrasada, quase sem voz, embriagada e actuou perante quase 100.000 portugueses.

Como noticiou a RTP no seu site “Ao longo da actuação, a cantora esqueceu-se das letras, improvisou, tentou tocar guitarra, dançou e quase caiu, comeu, bebeu e chorou (...) Exibia (...) um hematoma no pescoço e a mão direita envolta numa ligadura, que a impedia de pegar no microfone.”

Não sei o que achas da situação. Talvez digas que é injusto alguém pagar um bilhete para depois o artista não cumprir o prometido. Ou aches que o concerto deveria ter sido anulado. Vi a notícia, ouvi muitos comentários e pensei “Como é que uma pessoa tão talentosa pode chegar àquele estado de decadência?”.

É FÁCIL CAIR
Para ficarmos caídos na vida, sem forças para nos levantarmos, é porque fizemos um percurso que nos deu uma falsa segurança. Fama, amigos e dinheiro dão-nos muito, incluindo a ideia de que vamos ter sempre tudo o que queremos, como e quando queremos. Dá-nos valentia suficiente para irmos enveredando nas nossas pequenas loucuras.

A par e passo, a insatisfação que nasce com cada um de nós toma conta do volante e passamos a querer mais e mais. Quando damos por nós, estamos num palco qualquer da vida, a chorar, sem sentimento de valor próprio. Marionetas daquilo que nos domina – quer seja o álcool, as drogas, o tabaco, os jogos de computador ou consola, a pornografia, o consumismo, a internet...

A GRANDE DIFERENÇA
Mas tudo isto me levou a reflectir noutra coisa “Se eu fosse uma pessoa com aquele talento e não tivesse Jesus na minha vida, até onde eu poderia ter chegado na fama... e na decadência?!”.

As escolhas que se vão fazendo ao longo desse trajecto a que chamamos vida determinam a meta que iremos alcançar. Por vezes o embrulho com que se nos apresenta a decadência é brilhante, atraente, luminoso e tão apetecível, que humanamente deveria ser agarrado com todas as forças.

A nossa tendência natural para pecar é mais forte e gosta de tudo isso. O pecado é um menino mimado que quer governar a nossa vida - Independentemente do nosso nível social, da nossa tradição religiosa, das nossas capacidades intelectuais e talentos.

Só através de uma transformação interior, que só Deus pode e quer fazer em cada ser humano, conseguimos ter a capacidade de resistir. Depois de entregarmos tudo o que somos a Jesus, e Dele fazer essa mudança, começa a nossa vida com Deus. Nesse caminho de sentido único para o Céu sabemos o que Deus deseja de nós, através da meditação na Bíblia, e pedimos-Lhe para nos ajudar para sermos mais como Ele deseja, quando falamos com Ele diariamente.

É Deus que faz a diferença, se nós abrirmos a porta do nosso coração e Lhe dermos permissão para ser o nosso governador permanente.

UMA ORAÇÃO
Oro para que a Amy Winehouse possa vir a conhecer este Jesus que eu conheço. A vida dela é tão valiosa para Deus quanto a minha e a tua vida.

Deus não deseja que vivamos como farrapos humanos. Ele criou-nos com outro objectivo. Que Cristo transforme cada um para o propósito com que nasceu: viver com Ele, por Ele e para Ele.

"Digo-vos que assim haverá alegria no céu por um pecador que se arrepende, mais do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento.” (Lucas 15:7)


Artigo Publicado na Revista BSteen, Agosto 2008. www.capu.pt

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”