Tem graça...

A riso terapia é, segundo os que a defendem, uma técnica mental que ensina a recuperar a nossa capacidade inata de rir e sermos felizes, uma fonte inesgotável de saúde e bem-estar1.
Há coisas que nos fazem rir... “Tem graça”, dizemos nós. Há uma terapia ainda mais eficaz: a terapia da graça.
"Porque pela sua graça é que somos salvos, por meio da fé que temos em Cristo. Portanto a salvação não é algo que se possa adquirir pelos nossos próprios meios: é uma dádiva de Deus. Não é uma recompensa pelas nossas boas obras. Ninguém pode reclamar mérito algum nisso. Somos a obra-prima de Deus. Ele criou-nos de novo em Cristo Jesus, para que possamos realizar todas as boas obras que Deus planeou para nós." (Efésios 2:8-10; versão "O Livro")
Graça, aqui, não é a fonte ou o estímulo para rir... mas é a dádiva de bondade a alguém que não tinha direito a ela. É um favor imerecido. A graça de Deus é assim mesmo.
A terapia da graça é aquela que nos faz compreender que a nossa felicidade, intemporal e eterna, não vem por um esforço próprio mas pela aceitação de algo que Deus fez por nós. A verdadeira alegria de viver provém de uma relação pessoal com o nosso Criador, que deseja ser nosso pai e amigo.
Nenhum homem ou mulher poderia fazer algo para se tornar filho de Deus. Não conseguimos pelos nossos próprios meios. Não somos salvos de viver longe de Deus através de uma espécie de “pagamento”. Sermos bem comportados, bons cidadãos, defensores de causas nobres, intervenientes em prol da vida dos outros: tudo isso é louvável, mas não é “moeda de troca” para nos tornarmos amigos de Deus.
O mérito de reatarmos uma relação com Deus é d’Ele. Porque Ele decidiu amar-nos incondicionalmente, Jesus morreu no nosso lugar, esperando agora uma resposta da nossa parte a esse amor.
Deus não está no Seu trono com uma arma apontada para a humanidade, à espera das nossas falhas. Ele está de braços abertos para receber todos os que reconhecerem quão miseráveis, pecadores e inúteis são sem Ele. As consequências do que fazemos existem, mas a sentença da nossa eternidade é escolhida por nós.
Há um plano de aceitação e transformação que só Deus pode realizar, através de Cristo. Uma nova forma de vida, cujas acções e carácter reflectem o que se vai passando dentro do coração.
Mesmo que já estejamos nesse processo, continuamos a não merecer nada, absolutamente nada, daquilo que Deus nos dá. Podemos até conduzir muitas pessoas ao conhecimento de Cristo, ajudar mendigos, ter deixado vícios que nos aprisionavam, e nos considerarmos em vários aspectos bons cristãos. Mesmo assim, não merecemos nada... mas Deus dá-nos a salvação, os talentos, a vida, pela Sua graça.
Talvez reconhecer a graça de Deus, como ela é, nos faça pequenos a todos, e nos mova a despimo-nos de qualquer tipo de arrogância, auto-suficiência, justiça própria, protagonismo e até crueldade quando olhamos para os outros (todos os que Ele ama, pela Sua graça).
Deus continua amorosamente desejoso de nos receber, de nos mudar para sermos mais como Ele quer, de nos levantar quando caímos, de tratar com as nossas lutas e dúvidas... de nos salvar de nós mesmos. A terapia da graça está disponível, para todos.

Ana Ramalho

1http://www.acores.com/?page=art_det&ida=63

in revista Novas de Alegria, Outubro 2009


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”