Nunca mais aprendo!

Uma nova situação. Um novo desafio. Esperar pela resposta... mais uma vez.


Perco a paciência quando tenho que esperar muito porque gosto de velocidade. Fazer as coisas depressa. Estar sempre a acelerar.
Já foi pior! Quando era mais nova, ficava deprimida se as coisas não aconteciam de imediato e como eu queria... agora estou um bocadinho melhor.
Às vezes, como diz uma amiga minha, Deus faz-me sair da auto-estrada e andar por estradas cheias de curvas, com sinais que me fazem ter mais atenção e menos velocidade. Pareço o burro do Shrek “Já chegámos? Ainda falta muito?”
Podem ser imensas situações, mas em todas elas, a solução é a mesma: continuar a caminhar, mas esperar em Deus. Ir devagar. Fica atenta, mas tranquila. 
É muito fácil dizermos que dependemos de Deus, em resposta a um apelo num retiro. Afirmar que temos total confiança n’Ele quando a vida vai de vento em popa. Cantar aquelas músicas inspiradoras “Tudo o que tenho é Teu; Faz o que queres de mim...”.
A prova da nossa dependência de Deus dá-se, realmente, quando vemos que não temos capacidade para resolver uma situação e ficamos a aguardar que Ele responda ou faça alguma coisa. Há decisões na vida que a nossa capacidade humana ajuda, mas não é suficiente. Olhamos e dizemos: fiz tudo com sabedoria, mas agora não posso fazer mais nada. Resta-me esperar em Deus.
A “Escola da Dependência” é assim mesmo. Vamos aprendendo com cada coisa que nos acontece. Aprendemos a esperar em Deus, a travar a nossa auto-confiança, a mudar os nossos planos e adiar os nossos desejos.
Às vezes, quando uma nova prova aparece, penso “Nunca mais aprendo!”. A verdade é que já aprendi muito, mas o trabalho do Pai em mim ainda não terminou.
Mas, fica tranquilo! O Pai tem o melhor para nós. O que nos espera no final deste tempo de paciência é o melhor. O tempo de espera faz parte do processo para fazer de nós melhores pessoas.
Descansa no Senhor;  espera pacientemente pela sua acção.” (Salmo 37:7a; versão “O Livro”)
Estou contigo!

Ana Ramalho

in revista BSteen, Março 2010

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”