Hoje não vou ao culto!

Imagina que recebias um e-mail  com o seguinte texto:

“Olá! Hoje não vou ao culto. Não me apetece. Está a chover e embora vá de carro, apanho frio na garagem...

O que é que vou lá fazer? Já conheço a Bíblia de capa a capa... e sei o que o pregador vai trazer. Vou ficar em casa porque tenho trabalhado muito, tenho muitas responsabilidades, uma família ENORME para sustentar, problemas para resolver, telefonemas para atender... Além disso, não tenho faltado e ajudo sempre o pastor.

Quando de alguma maneira falam de mim, até são simpáticos, mas na realidade pouca gente se preocupa com o que eu tenho a dizer. Ninguém vai dar pela minha falta. Bom, se for porque precisam de ajuda, até que se lembram de mim... mas, de resto, quando preciso de alguma coisa, tirando um ou outro, não tenho grande sucesso. Muitas vezes acabo sozinho a tentar ajudar o pastor no que é preciso.

No Domingo passado, por exemplo, o Miguel disse-me que era mesmo meu amigo e que se fosse preciso dava a vida por mim. Agradeci, a sério... mas durante a semana pedi-lhe para varrer as folhas à frente da Casa de Oração, porque eu estava a tratar de outras coisas, e ele disse que estava a ver um filme com a namorada e não podia.

A Telma já me veio pedir perdão umas 30 vezes porque se comprometeu em ajudar-me na Escola Dominical, mas diz que não se consegue levantar para estar às 11h na igreja porque anda muito ocupada. Pela conversa das amigas, a ocupação dela é nas redes sociais até às 4h da manhã... não posso contar com ela.

Com tantas e tão poucas que me têm feito, acho que hoje não vou ao culto mesmo...

Assinado: Jesus”

Ainda bem que isto é ficção. Jesus disse que quando nos reuníssemos no Seu nome Ele estaria no nosso meio. Mas nós, infelizmente, por quase nada arranjamos desculpas para não estar consecutivamente na Casa de Oração. Não estou a falar de situações inesperadas ou temporárias, claro!

O nosso problema é que não colocamos Deus em primeiro lugar mas o nosso conforto, prazer e divertimento... Jesus, pelo contrário, deixou o conforto e o melhor lugar no Universo – onde tinha anjos para servi-Lo – para que pudéssemos ter uma amizade profunda e inteira com o Pai, ganhando para nós no sofrimento da cruz a vida a valer.

O desafio é claro. Deixa de lado o egoísmo e abraça o cristianismo – sê cristão, imita Cristo.

Estou contigo!

Ana Ramalho


in revista BSteen, Março 2011 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda