Buffet

Se nunca foste pelo menos já ouviste falar daqueles restaurantes com buffet, com comida à descrição. A vantagem do buffet é que podes escolher o que queres comer... e não és obrigado a comer aquilo que não gostas. Bacalhau com natas ou lasanha? Picanha ou marisco? Sopa ou salada? Não importa! A escolha é tua.

Em muitas áreas da vida, as coisas funcionam assim. Podemos escolher uma camisola azul ou verde, um caderno com capa lisa ou foto, fazer ginástica ou jogar futebol... mas há outras coisas em que não podemos escolher: a família em que nascemos, o estado do tempo, etc.

Também não podemos usar a Bíblia como se fosse um buffet. Ou seja, escolher esta promessa e por de lado a condição da promessa. Escolher um versículo ou capítulo isolado para justificar a nossa forma de pensar... e não ligar a outras passagens sobre o mesmo tema, porque podem são ser ao meu gosto.

Paulo, quando escreveu aos manos em Roma, explicou que a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12:2)... mas nem sempre vemos assim a vontade de Deus. Muitas vezes achamos que é má, desagradável e imperfeita. A única forma de isso mudar é fazermos o que diz no contexto dessa passagem (e noutros textos da Bíblia).

Toma atenção às palavras de Paulo: “E assim, irmãos, peço-vos, através do amor de Deus, que dêem as vossas vidas a Deus. Que elas sejam como que um sacrifício vivo, santo, para Deus - o tipo de sacrifício que ele aceitará. Quando pensamos em tudo o que ele fez por nós, será isso pedir muito? Não se conformem com os padrões e costumes deste mundo, mas sejam como gente diferente, através da renovação da vossa maneira de pensar. E dessa forma conhecerão o que Deus deseja que façam, e verão como a sua vontade é realmente boa, agradável e perfeita.” (Romanos 12:1-2, versão “O Livro”)

Precisamos assumir que Deus é o rei da nossa vida, entregando-nos totalmente a Ele. Essa entrega é uma resposta amorosa àquilo que Jesus fez por nós. Precisamos procurar que através da Sua Palavra, da oração, das circunstâncias e da partilha da Palavra por outros irmãos, sejamos moldados no pensamento e no agir, e não nos tornemos cristãos apenas de rótulo. O nosso coração precisa de uma intervenção que só Deus pode fazer, para que entendamos que a Sua vontade é “boa, agradável e perfeita”.

Sim, podes escolher: ou segues Deus ou não segues Deus. Ou vives como Ele quer ou à tua maneira. Ou conheces e segues a Palavra ou não. Não há meio-cristianismo nem cristianismo-buffet.

Deus ama-te e quer que O conheças e vivas com Ele e para Ele, mas a escolha é tua, todos os dias!

Estou contigo!

Ana Ramalho

in revista BSteen, Setembro 2011

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”