PERDIDOS - À procura da vontade de Deus - Versão 2012

“Um dia, escorreguei numa casca de banana e caí em cima do livro de geografia, que estava aberto precisamente numa página que falava sobre a agricultura... e percebi: Deus quer que eu seja agricultor!”

Parece ridículo mas, muitas vezes, vemos a vontade de Deus desta forma. Andamos perdidos, à procura de uma visão, uma profecia, um feeling para nos guiar... Acabamos por ficar ansiosos e fazemos escolhas sem pensar. Depois do mal feito é que procuramos conselhos e oramos “Deus, salva-me desta situação!!!”

Fazer a vontade de Deus, no fundo, significa fazer as escolhas certas. Neste artigo não vos vou dar nenhuma fórmula infalível e instantânea. É apenas um resumo de algumas coisas que a Bíblia fala e que me têm ajudado (e muito) a tomar as minhas decisões. Conhecer e agir de acordo com a vontade de Deus é algo que exige de nós uma vontade e dedicação constantes… estás pronto(a)?

OS 3 NÍVEIS DA VONTADE DE DEUS
1º nível - Vontade Soberana. É aquilo que Deus faz ou permite, cuja razão nós não compreendemos. Viver debaixo da vontade soberana de Deus é aceitar que “todas as coisas contribuem juntamente, para o bem daqueles que amam a Deus (…)” (Romanos 8:28). As coisas fáceis mas também as difíceis. É preciso fé e acreditar, sem reservas, que Deus está a fazer o melhor por ti.

2º nível – Vontade Moral. Saber e agir de acordo com aquilo que Deus quer no aspeto espiritual e moral. Deus criou um “manual” onde podes descobrir, em detalhe, a maneira como Ele quer que tu vivas: a Palavra de Deus (Salmo 119:105).

3º nível – Vontade Individual. Este é o patamar que nos dá mais dores de cabeça, certo? Afinal, qual a vontade de Deus para a tua vida pessoal em áreas como curso e emprego, namoro e casamento, onde comprar casa, etc.?

Não podemos chegar bem ao 3º nível sem passarmos pelos outros dois. Sem uma entrega, pela fé, à soberania de Deus, nem obediência à Sua vontade moral e espiritual, como é que queremos que Deus nos ajude no resto? (Agora pode parar um bocadinho e ler 1 João 5:14 e 15... eu espero. Já está? Então vamos continuar) Se algo não está bem na tua vida, arrepende-te  e pede a Deus para te ajudar a viver na Sua vontade moral.

COMO OUVIR A VOZ DE DEUS E FAZER BOAS ESCOLHAS?
1 - Tem disposição, abertura e determinação para descobrir a vontade de Deus. Existem áreas que ainda precisas amadurecer antes de tomares decisões importantes. Nem sempre aquilo que te parece bom agora vai ser daqui a um ou dois anos (ou a vida toda, no caso do namoro e casamento). Podes não ter “queda” para as “profissões da moda”. Vai com calma. Fica aberto para qualquer meio ou resultado, sabendo que Deus não Se contradiz. Ele não te vai pedir algo que vá contra a Sua Palavra. (Antes de passares para o outro ponto, lê Tiago 1:5 e 6).

2 - Examina a Palavra de Deus para conhecê-Lo e compreender a Sua vontade moral; ora e jejua até tomares a decisão. A proximidade com Deus e a Sua Palavra ajuda-nos, não apenas a conhecer os Seus princípios mas a termos o coração sintonizado com o Dele para, em consciência, tomarmos as decisões certas. Andar no Espírito tem a ver com isto. Não é andar ao sabor do vento, mas ao ritmo da Palavra de Deus escutando o Seu coração em oração.

3 – Não tomes grandes decisões sozinho, precipitadamente. Pensa bem para tomar decisões inteligentes, sabendo que Deus te dará todas as informações necessárias, se as procurares. Não é o momento de pensares sozinho, precisas de conselheiros (Este versículo é importante - Provérbios 15:22). Procura aconselhamento familiar, pastoral e profissional. Pessoas com bom testemunho, equilibradas, podem dar-te bons conselhos. Também podes procurar uma experiência no “terreno” (no caso da profissão) ou falar com alguém ligado à área.

4 - Tem em conta os teus desejos pessoais e dá tempo para “amadurecer” os teus gostos. Aquilo que gostamos ou queremos deve ser confirmado, de forma a reconhecermos e fortalecermos a vontade de Deus em nós. Examina a tua capacidade ou potencial ANTES de decidir. No caso dos relacionamentos amorosos, é importante não te entregares ao primeiro “arrepio na espinha”. Dá tempo ao tempo. Procura conhecer bem a outra pessoa. Não comeces um namoro sem primeiro teres uma amizade sólida. Assim, evitas muitas dores de cabeça.

5 - Analisa as circunstâncias para ver quais as oportunidades. Quais as portas abertas e fechadas? Existem outras alternativas? Os teus pais podem pagar o curso? Será que queres que ele/ela seja o pai/mãe dos teus filhos? E como vai ser quando ele/ela tiver cheio de rugas, e com o feitio igual (ou pior!)? Se ele/ela quer ir muito depressa na intimidade física (mais do que Deus deseja para nós), será que é a pessoa certa? Leva todas as tuas dúvidas a Deus em oração, baseado na Palavra e procura analisar bem todas as coisas antes de decidir.

6 - Toma a decisão e verifica se tens paz com Deus. As decisões são tuas! Deus tem um plano para cada um de nós, não um “destino” pré-determinado. Ele indica-nos o caminho, mas nós temos livre arbítrio (escolha) para decidir se o seguimos ou não. Depois da decisão, vem a confirmação. Verifica se estás em paz, e continua perto de Deus.

Deus não quer que andes perdido! Ele deseja que sigas a Sua vontade moral, confies na Sua vontade soberana e saibas usar as ferramentas que Ele coloca à tua disposição para fazer as escolhas certas. O mais espetacular é que para cada ser humano que se entrega nas Suas mãos, Deus tem um plano claro: Ele deseja primeiro salvar-nos e depois ajudar-nos a viver com e para Ele, passo a passo. Acima de tudo espero que desejes viver a vontade de Deus, nos seus diversos níveis, a 100%. Segue estas dicas e entra na fantástica descoberta do Plano de Deus para ti… Fé, obediência e… muito trabalho!

LIMPA AS TEIAS DE ARANHA!
Quando é preciso decidir especificamente e fazer escolhas na nossa vida, muitas vezes, existem barreiras na nossa própria cabeça, teias de aranha que nos impedem de alcançar o propósito de Deus para nós.
·      Pensar que Deus está longe e desinteressado;
·      Medo de tomar a decisão errada, não fazendo a vontade de Deus;
·      Achar que a vontade de Deus é sempre contrária à minha e que Ele quer que eu faça algo que odeio;
·      Pensar que todas as decisões têm a mesma importância. Não compares a compra de uma mochila nova com a escolha de uma profissão;
·      Achar que a vontade de Deus é um quebra-cabeças complexo, resolvido de uma forma complicada e misteriosa. É, antes, um caminho para ser percorrido passo a passo com Deus;
·      Estarmos obcecados em conhecer a vontade de Deus para o futuro. E isso pode impedir-nos de conhecer aquilo que Ele quer para nós no presente.
·      Usar a Palavra de Deus como uma bola de cristal para adivinhar o futuro. Cuidado! A distorção de versículos e a sua descontextualização podem levar a uma decisão errada, com consequências.


Ana Ramalho


in revista BSteen, maio 2012. Texto usado originalmente na BSteen de agosto de 2004, revisto e adaptado. Bibliografia: “Como decidir?”, Jaime Kemp, Editora Sepal; “Adolescentes em conflito”, Les Parrott, Editora Vida


Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”