“Não, não e não!”

A resposta dos pais foi simples e direta. “Porque é que eles dizem sempre ‘não’?” pensou o Frederico enquanto se estatelava na cama, aborrecido. “Se ao menos eu pudesse fazer tudo o que me apetece como o João e o Nuno... mas os meus pais são uns cortes!”

Tinha sido convidado para uma festa com o pessoal da turma, em casa do Nuno. Os pais disseram-lhe que não o deixavam ir porque, normalmente, aquelas festas acabavam mal. “Mas eu não bebo!” repetia o Fred. “Tu não, mas os teus amigos bebem... Já não te lembras do que aconteceu com o João na última festa? Acabou no hospital, em coma alcoólico. Se quiseres ir jantar com os teus amigos, tudo bem, mas não te queremos em festas desse tipo porque nunca sabemos como podem acabar.”

Naquela noite, o Frederico adormeceu a pensar que os pais lhe queriam “tirar a liberdade”. Às cinco da manhã recebeu um sms do João, em pânico. A Polícia teve que intervir na festa porque houve queixas de barulho da vizinhança. Os pais do Nuno estavam fora e tiveram que regressar de urgência. Uma rapariga do 8ºA foi levada ao colo pelo pai, completamente embriagada. E outras desventuras... afinal os pais sempre tinham razão.

Sabes, somos todos parecidos com o Fred. Não gostamos de "nãos", mesmo quando são para o nosso bem. Quando andamos desde miúdos na Igreja, às vezes, parece que aquilo que aprendemos são “nãos-impedidores-de-felicidade”. Na realidade, quando começamos a olhar à nossa volta e a ver o modo como as pessoas têm vivido, percebemos que dizer sempre “sim” a todos os desejos, sentimentos e vontades, é muito perigoso e pode destruir-nos a nós e aos que estão à nossa volta.

A Palavra de Deus é uma carta de amor, cheia de princípios para uma vida saudável. Com muitos ‘nãos’, é verdade, mas também muitos ‘sins’ que precisamos aprender e viver, com a Sua ajuda. Ironia das ironias, quando decidimos viver pela nossa cabeça e nos deixamos levar pelos nossos desejos, começamos por pensar "NÃO é assim tão mau..." e, devagar, vamos ficando cada vez mais longe do que Deus deseja para nós, sempre a descer e só paramos quando (se) pedirmos ajuda a Deus. Afinal há mesmo "nãos" para a nossa ruína... quando dizemos “não” a Deus.

Jesus disse: “Se fizerem aquilo que eu vos mando, serão meus amigos.” (João 15:14, versão “A Bíblia para Todos”). E como sabemos o que Jesus quer que façamos: conhecendo a Sua carta de amor, a Palavra de Deus. 

Sim, sim, sim: eu quero obedecer a Jesus. E tu?

Estou contigo!


Ana Ramalho


in revista BSteen, julho 2012

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda