Gosto ou amo?

Uma foto, uma frase, um vídeo... não resistes a clicar no botão “Gosto”. É a tua reação imediata. O Facebook habituou-nos a isso. Minutos depois já esqueceste a frase inspiradora, a foto engraçada e o vídeo maravilhoso, porque entretanto passaram mais umas dezenas de imagens, textos e perguntas pelos teus olhos. 

As redes sociais habituaram-nos a ver o mundo tipo mural, onde cada um diz o que quer, como quer, e onde a nossa opinião pode ser virtualmente escutada, mesmo que seja por segundos.

Quando transportamos isto para a vida real, podemos cair no mesmo tipo de atitude. É verdade que as pessoas com que lidamos cara a cara não têm um botão para clicarem “Gosto” naquilo que dizemos ou fazemos. Também não podemos “ocultar” aquilo que fizemos para ninguém saber, porque as pessoas veem-nos e Deus, que está sempre atento para cuidar de nós, também.

Agora, a minha grande pergunta é esta: gosto ou amo Deus? Dizer que se gosta de algo ou de alguém é sentir prazer, afeição, aprovar. Amar vai mais além do que gostar. É ter dedicação, devoção, querer bem, estar apaixonado. O primeiro mandamento que temos é “Ama o Senhor teu Deus com todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com todas as tuas forças.” (Marcos 12:30, versão “A Bíblia para Todos”). É uma frase que resume o modo como nos devemos relacionar com Deus, que está explicado com mais pormenor ao longo de toda a Bíblia.

Repara que não diz apenas para amarmos Deus, mas amá-Lo COMPLETAMENTE! Daí a palavra “todo” aparecer tantas vezes. Ser filho de Deus tem a ver com isto. Não é apenas sentir prazer naquilo que Deus nos dá, admirar Jesus e a Palavra de Deus, gostar de ir a retiros... vai muito além disso.

É deixar que Deus seja a pessoa por quem vives apaixonado diariamente, mesmo quando não O sentes, quando não há eventos ou cultos especiais. É uma atitude que começa no teu coração quando decides, dia a dia, viver com e para Ele; quando toda a tua vontade é seguir a Sua Palavra, quando toda a tua mente deseja ser transformada por Ele e medita naquilo que Ele é, diz e faz; quando usas todas as tuas energias, talentos e tempo para agradar a Deus porque o amas.

Amar a Deus, acima de tudo e de todos, só é possível porque Ele nos quis amar primeiro. Ele merece o nosso amor total, a nossa entrega total, a nossa vida a 100%... para vivermos a fantástica aventura da vida cristã, mesmo sabendo que tem desafios, lutas e provas. Jesus é a nossa vitória e, se perdermos tudo – como há cristãos que perdem nos países que os perseguem – continuamos a ter o que amamos, Jesus. E isso é o mais importante!

“Tenhamos os olhos postos em Jesus, de quem a nossa fé depende inteiramente. Ele suportou a morte na cruz, sem se importar com a vergonha que nisso havia, sabendo a alegria que o esperava. Agora está à direita do trono de Deus. Pensem nele, que tanta oposição sofreu da parte dos pecadores! Assim não hão de perder a coragem nem desfalecer.” (Hebreus 12:2-3, versão “A Bíblia para Todos”).

Quando amamos realmente alguém, estamos dispostos a fazer tudo por essa pessoa. O que é que já fizeste para Deus?

Estou contigo!


Ana Ramalho

in revista BSteen, outubro 2012

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda