Finalmente!

Já cheira a férias... de Natal! O calor do verão dá lugar ao aconchego da lareira. As dias grandes, são trocados pelas grandes reuniões de família. Cheira a prendas, a comida, a comunhão... ou não!

Apesar de Natal rimar com comercial, fica bem melhor ao lado da palavra generosidade. Em vez de darmos presentes, precisamos estar presentes, junto daqueles que nos são queridos ou que, pelas ruas, não são assim tão queridos pelos seres humanos, mas desprezados ou esquecidos, num lar, numa esquina. A comida “come-nos” a atenção, em vez de nos fazer pensar n’Aquele que é o Pão do Céu que satisfaz totalmente aqueles que O experimentam e seguem.

Somos generosos não porque é da época mas porque Cristo, a razão do Natal, nos mostrou a generosidade, vindo ao mundo para Se oferecer por cada um de nós, morrendo de braços abertos na cruz – para que o nosso pecado fosse pago e recebêssemos a vida eterna, vida fantástica e desafiante com Deus.

E é a aceitação desse presente, Jesus, e o arrependimento do nosso passado, que nos faz abrir caminho para um novo estilo de vida, seguindo o próprio Cristo. Seguimos Jesus, até que a morte nos una ou até que Ele nos venha buscar...

Há quem diga, sem base bíblica, que Jesus foi casado... mas a verdade é que Ele tem uma Noiva, a Sua igreja, composta por todos os que O amam e seguem. Se seguimos Jesus, todos os dias, se vivemos perto d’Ele e da Sua Palavra, vamos ficando cada vez mais apaixonados por Ele – vamos querer que mais pessoas O conheçam, como nós O conhecemos, vamos desejar ser mais e mais pessoas transformadas pelo Seu Espírito, vivendo como Ele quer que vivamos.

Um dia, vamos estar com Jesus, finalmente. “O Espírito Santo e a esposa dizem: Vem! E quem ouvir este apelo diga também: Vem! Quem tem sede, que se aproxime; que todo aquele que quiser beba de graça da água da vida. (...) Aquele que revelou estas coisas afirma: Sim, em breve voltarei! Que assim seja! Pois vem, Senhor Jesus!” (Apocalipse 22:17 e 20, versão “O Livro”).

Estou contigo!

Ana Ramalho



in revista BSteen, dezembro 2012

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda