06 junho 2013

Uma História que muda histórias

Ao abrir aquele livro de capa preta, movida pelo desejo de conhecer Deus, ela iniciou uma viagem que jamais iria parar. Envolta por uma educação oficialmente ateia, por um lado, e oficiosamente católica romana, por outro, no meio da adolescência deixou que a Palavra de Deus mudasse a sua história.
Na sinceridade e simplicidade da juventude, buscou a Deus, desejando encontrar alguém ou alguma igreja onde aquela Palavra pudesse ser partilhada, explicada e vivida. E foi com estes pequenos passos que aquela jovem mulher foi marcada por Deus e a sua vida nunca mais foi igual.
Através do testemunho de um colega de trabalho, de alguns vizinhos e amigos, viria a achar uma pequena Casa de Oração onde uma mão cheia de crentes se juntava, chamada “Assembleia de Deus”. Esta caminhada iria marcar a vida dos seus filhos – a minha vida, do seu marido e de outras pessoas que com ela se cruzaram.
Nos últimos meses, ao estarmos envolvidos na preparação das comemorações do Centenário das Assembleias de Deus, deparámo-nos com grandes eventos e acontecimentos, os quais já temos vindo a destacar e que continuaremos a fazer ainda neste número.
No entanto, é delicioso, enquanto desvendamos a nossa História, descobrirmos relatos pessoais e únicos de homens e mulheres tocados por Deus, usados por Ele – como a breve história de conversão e nova vida da minha mãe.

O GRANDE LIVRO
A Bíblia pode ser erradamente conotada como um livro de histórias, de fábulas que não aconteceram. Na verdade ela também não é um compêndio de História, embora contenha alguns factos históricos. Ela é, sim, um relato fantástico com muitas histórias reais, e resume a maior delas: o desejo de Deus em que o Homem viva para a Sua glória.
A Bíblia conta como Abraão é chamado por Deus para viver, não mais no seu registo pessoal, mas de acordo com a orientação peculiar de Deus, num plano bem maior do que os poucos anos de vida do homem de Ur dos caldeus.
Revela-nos como a mulher junto ao poço de Jacob, é confrontada, sem dar por ela, com as suas más escolhas e com a necessidade de arrepiar caminho. Jesus é a água da vida que sacia o vazio quase inconsolável do ser humano – e ela experimentou essa vida abundante.
O homem dominado por espíritos imundos é libertado por Cristo. A mulher romana começa a acompanhar Jesus. O religioso judeu procura-O no meio da noite. Os leprosos, considerados imundos e socialmente excluídos, são curados por Ele.
 Começando nas páginas da Bíblia Sagrada, e prosseguindo no tempo, vemos Deus intervindo na História e nas nossas histórias. No nosso mundo, pessoal e único. No nosso “eu”, que precisa ser salvo de si mesmo. Na nossa velha e corrompida natureza, que urge ser transformada por Ele. E Ele continua, como no passado, pronto para escrever um novo futuro no guião da nossa vida.

É POSSÍVEL
Quando escrevo estas linhas, tenho a perfeita noção de como, para alguns dos que me leem, é um desafio pensar que Deus existe e, mais ainda, que Ele Se preocupa connosco, ao ponto de poder mudar o rumo da nossa vida.
Na realidade, a injustiça que presenciamos e que nos faz gritar “Se Deus existe, porque não faz nada?” logo é calada quando nos vemos ao espelho e entendemos que, nós, humanos, somos responsáveis pelas nossas ações e pela maneira como gerimos a nossa liberdade – e como magoamos os outros.
Os nossos recursos são limitados. Somos falíveis e, entregues a nós mesmo, irremediavelmente perdidos... mas há esperança.
Deus chama-nos “Oh vós, todos os que tendes sede, vinde. Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão! e o produto do vosso trabalho naquilo que não pode satisfazer? ouvi-me atentamente, e comei o que é bom, e deleitai-vos com a gordura. Inclinai os vossos ouvidos, e vinde a mim; ouvi, e a vossa alma viverá (...) Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos; volte-se para o Senhor, que se compadecerá dele; e para o nosso Deus, porque é generoso em perdoar.” (Isaías 55:1-3,6,7, AA)
O que todos precisamos é deixar de lado o nosso GPS avariado, e pedir a Deus para guiar a nossa vida. A Palavra de Deus afirma “Confia no Senhor e nunca em ti mesmo. Em tudo o que fizeres põe Deus em primeiro, e ele te dirigirá nos teus caminhos. Não te consideres sábio aos teus próprios olhos. Teme ao Senhor e volta as costas ao mal; quando assim fizeres gozarás de saúde e de vitalidade.” (Provérbios 3:5-8, OL).
Deixe Deus entrar na sua história, reconhecendo como tem falhado, como tem vivido apenas à sua maneira, sem pensar no que o seu Criador deseja para si – ser o ser Pai celestial. Deixe-O mudar a sua vida, como mudou a minha história.


Ana Ramalho Rosa

in revista Novas de Alegria, junho 2013

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Sem comentários: