3P

Isto pode parecer uma equação matemática… Ou então, talvez um nome de um grupo de música ou até mesmo um modelo de um equipamento qualquer. Mas não é! De certeza que estás a pensar, “então mas afinal o que é o 3P?” Vamos ver isso já a seguir!

No Antigo Testamento, existe um livro que tem o nome de um profeta que foi usado por Deus para chamar à atenção para a corrupção e a desonestidade em que o Seu povo vivia. Um dos grandes problemas dos hebreus era o pensarem que podiam viver como quisessem, desde que praticassem os rituais que a Lei descrevia. Eles faziam sacrifícios para aliviar a consciência e viviam muito mais perto da superstição do que de Deus.

Assim, Deus usou Miqueias para pregar contra esse tipo de vida. Não só porque eram desonestos entre si (o povo), mas porque tinham virado as costas a Deus e trocado um relacionamento com Ele, por coisas que não Lhe agradavam. Em Miqueias 6:8, o profeta explica de caras o que Deus requer aos que realmente O seguem. Não tem nada a ver com rituais, com religiosidade e muito menos com superstições. São 3 Pontos (não confundir com “Os 4 Pontos”!!!) muitos simples e que nos dizem respeito hoje em dia também:

1.    Ser justo – Isto não tem nada a ver com sermos juízes ou advogados, mas com o sermos verdadeiramente justos. O que é isso então? Basicamente, tem a ver com o facto de agirmos com o caráter de Jesus e de agirmos de modo correto, sem querer prejudicar ninguém em tudo o que façamos;

2.    Ser misericordioso – Provavelmente esta é uma coisa que já ouviste, mas será que o tens sido? Ser misericordioso (ou gentil) é mais do que dar uma moeda a quem precisa ou ser bem educado. É lembrarmo-nos da parábola do Bom Samaritano e agir como ele, sem termos nada a ganhar, ajudarmos aqueles que vemos em situações complicadas, apenas e só apenas porque isso foi o que Deus fez (e ainda faz) connosco através de Jesus;

3.    Caminhar em humildade com Deus – Este é capaz de ser o ponto mais difícil… Sabes que normalmente, quando fazemos alguma coisa bem feita, gostamos de ser reconhecidos. Temos a tendência para nos tornarmos vaidosos. Caminhar em humildade não é fingir que não ficamos contentes com elogios, como quando temos boas notas e os professores ou os pais nos dizem que temos feito um bom trabalho. Mas é receber esses elogios, perceber que só os recebemos porque Deus nos tem abençoado e usado. É dar-Lhe graças e pedir-Lhe que continue a dirigir a nossa vida;

Hoje em dia é fácil vivermos ao contrário do que Deus deseja, mas tal como antes, não podemos perder a rota pela qual Ele nos quer guiar. Muitas vezes vais ser difícil, mas lembra-te que o nosso maior exemplo, o Senhor Jesus, viveu assim e quer que vivamos assim também.

“Toda a autoridade no céu e na Terra me foi dada, disse aos discípulos. Portanto, vão e façam discípulos entre todos os povos. Batizem-nos em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo. Ensinem-lhes a obedecer a todos os mandamentos que vos dei. Fiquem certos de que estou sempre convosco até ao fim do mundo.” (Mateus 28:18-20, OL)


Ricardo Rosa

in revista BSteen, agosto 2013

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda