O enxoval - Aventuras de uma gravidez - 3

Trazer ao mundo uma criança é uma grande alegria, mas também uma enorme responsabilidade. Já não pensamos só em nós mas, principalmente, em proporcionar o melhor que pudermos ao bebé.
Babygrows, macacões, pijamas, babetes... precisamos preparar tudo antecipadamente para recebê-lo. Os avós, tios, primos e conhecidos, mal sabem se é menino ou menina, não param de nos surpreender com “só uma coisinha para o bebé”, “vi isto e não resisti” ou “até mandei bordar o nome dele (ou dela)”.
Quando ele ou ela nascer, já o espera um guarda-roupa especial: o enxoval. E durante muito tempo, não vai questionar de onde vem a roupa, se há leite ou se os pais têm dinheiro para pagar a renda no mês que vem. Comida, dormida e roupa lavada aparecem sem ele ou ela fazer nada. É garantido.
Jesus explicou aos Seus seguidores: “Não andem preocupados com o que hão de comer ou beber, nem com a roupa de que precisam para vestir. Não será que a vida vale mais do que a comida e o corpo mais do que a roupa? Olhem para as aves do céu, que não semeiam, nem colhem, nem amontoam grão nos celeiros. E no entanto, o vosso Pai dá-lhes de comer. Não valem vocês muito mais do que as aves?” (Mateus 6:25-26, BPT).
Jesus não está a dizer para não trabalharmos ou agirmos ser pensar no que toca à gestão dos nossos recursos, mas explica-nos que quando as nossas vidas estão nas mãos do Pai, devemos ser um pouco como os bebés: é garantido que Ele cuida de nós. A Bíblia fala acerca da importância do trabalho para o nosso sustento e do descanso como prova da nossa dependência e adoração a Deus, dos perigos da preguiça e da ganância, e da nossa pré-ocupação em contraste com a confiança nos cuidados do Pai.
“Não andem preocupados a dizer: ‘Que havemos de comer? Que havemos de beber? Que havemos de vestir?’ Os pagãos, esses é que se preocupam com todas essas coisas. O vosso Pai celestial sabe muito bem que vocês precisam de tudo isso. Procurem primeiro o reino de Deus e a sua vontade e tudo isso vos será dado. Portanto, não devem andar preocupados com o dia de amanhã, porque o dia de amanhã já terá as suas preocupações. Basta a cada dia a sua dificuldade.” (Mateus 6:31-34, BPT)
Quando recebemos Deus como nosso Pai, podemos ter a certeza, a confiança absoluta e total de que, andando no Seu caminho e seguindo a Sua Palavra, fazendo a nossa parte, Ele faz a d’Ele: cuida de nós.
O prato pode ser de plástico ou de porcelana, o teto de zinco ou telha, a roupa feita à medida ou em segunda mão... o que importa é que temos o que precisamos, porque Ele está a velar por nós.
A decisão se entregarmo-nos nas Suas mãos é sempre nossa. Alguém conhece um Pai melhor do que este?


Ana Ramalho Rosa

in revista Novas de Alegria, outubro 2013


Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”