Só, sozinho e a solo?

A solidão é uma coisa complicada. Mesmo passando por ela, nem sempre admitimos que nos sentimos sós e tristes.

Cada vez mais a nossa sociedade dá-nos os meios para sermos independentes, para não precisarmos de ninguém, para nos safarmos bem sozinhos. Mas como diria um pensador “nenhum homem é uma ilha isolada”...

Este é um dos males que atacam o mundo hoje em dia. A solidão mata-nos devagar e é silenciosa, vira-nos do avesso e nem damos por isso. Começa com um passo pequeno de achar que não precisamos de ninguém, para terminar num isolamento total que nos leva a afastarmo-nos de Deus. O isolamento leva a uma sensação falsa de independência, que acaba por se transformar em tristeza e em depressão. E infelizmente, cada vez mais adolescentes sofrem dessas depressões e de tudo o que está associado a elas: alimentam-se mal, maltratam-se pessoalmente, desenvolvem mais problemas mentais... Um terror!

E isso não é o que Ele tem para nós! Deus não nos projetou para viver em terror ou medo! Quando Deus criou o Homem, fê-lo de modo a que pudéssemos viver em comunidade (1ª Coríntios 12:12), em união (Salmo 133:1) e em amor (Romanos 12:10). Ele não quer que vivamos isolados. Não quer que vivamos tristes (apesar de todos passarmos por momentos difíceis).

Esquece a cena do herói solitário, do “não preciso de ninguém”. Não vivemos dentro de uma bolha e Jesus deu a Sua vida para vivermos como um só corpo. Todos nós somos importantes, todos nós somos amados de igual modo por Ele. Todos nós fomos pagos com o sangue de Jesus!

Se te sentes triste, isolado ou só; não fiques assim. Procura ajuda! Fala com os teus pais, com um professor, com alguém mais velho em quem possas confiar... O amor de Deus por ti vale a vida de Jesus!

E como parte do corpo, também estou aqui!

Ricardo Rosa



in revista BSteen, março 2014


Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda