Segunda Epístola de João

Esta é a segunda epístola escrita por João no período entre 97-100 d.C., ligeiramente depois de ter escrito a sua primeira epístola, tendo como lugar de redação Éfeso1.

Pela data e estilo de composição, é percetível que João está a escrever para uma comunidade cristã já estabelecida e em pleno crescimento, apesar de esta igreja local não estar devidamente identificada. Como qualquer outro escrito joanino, com exceção de Apocalipse, João concentra uma dose equilibrada de apologética na carta, de modo a não só educar a igreja local no que deve fazer, mas também a demonstrar o que não fazer.

A carta divide-se em três partes sendo a primeira parte a Introdução (versículos 1-3), a segunda parte a Mensagem (versículos 4-11) e a terceira e última parte a Conclusão (versículos 12 e 13). João não se identifica como autor da carta pelo seu nome, mas sim através do seu ofício (ao invés de Paulo que nas suas epístolas geralmente emprega o seu nome para conferir autoridade às mesmas)2.

O foco essencial de João é o combate às heresias gnósticas e a explicação acerca de como viver uma vida centrada em Cristo, algo que já havia iniciado na sua primeira epístola. O apóstolo dá uma ênfase importante à “verdade” (termo utilizado cinco vezes nos primeiros quatro versículos) assumindo uma posição ortodoxa e apologética contra os falsos mestres (v.7).

Essa posição traduz às igrejas que aqueles que não “...aceitam que Jesus Cristo tenha vindo com um corpo igual ao nosso.” (2 João 1:7, OL) são falsos profetas3 e que devem ser evitados (v.10). Este comportamento aparentemente drástico tem como objetivo não transmitir qualquer sinal de aprovação (ao receber em casa) ou de encorajamento (ao saudar) a esses falsos profetas.

A epístola termina com a indicação de que João teria mais assuntos a tratar, mas que o prefere fazer de modo pessoal (v.12), de maneira a poder participar da comunhão com os seus irmãos e irmãs na fé “para que a nossa alegria seja completa” (2 João 1:12, OL). O autor considera que isso “será bom para vocês e para mim” (2 João 1:12, MSG).

Ricardo Rosa


[1] MAUERHOFER, Erich, Introdução aos Escritos do Novo Testamento, São Paulo, Editora Vida, 2010 p.563,564; 2 STOTT, John, I,II e III João – introdução e comentário, São Paulo, Editora Vida Nova e Editora Mundo Cristão, 1982 p.172; 3 1 João 4:1-3.

in revista Novas de Alegria, setembro 2014


Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda