Vistos Gold*

"O visto gold [dourado] é uma autorização para entrada e residência em Portugal, atribuído a cidadãos não naturais da União Europeia ou residentes fora do Espaço Schengen a troco de um investimento financeiro avultado ou da criação de emprego.”*
Polémicas, demissões e investigações à parte, esta é uma autorização peculiar que exige um custo considerável da parte de quem a quer. Nem tudo é assim na vida, mas a verdade é que muitas coisas são-nos entregues em troca de alguma outra coisa. Um diploma, “em troca” de anos de estudo e de uma avaliação positiva. Um salário, “em troca” do nosso trabalho. Um apartamento, “em troca” de uma determinada quantia. E a lista poderia continuar, indefinidamente.

Para se ter um visto gold, faz-se o pedido e oferece-se um investimento considerável em Portugal e, se aprovado, o visto dá direito de entrada e de residência a estrangeiros no nosso país. 6 anos depois, se tudo corre bem, pode-se requerer nacionalidade portuguesa.
Esta “modalidade” para obter residência e posterior nacionalidade portuguesa, lembra-me o investimento necessário para obter uma outra residência e nacionalidade, bem mais importante e duradoura – a celestial.
O preço dessa nacionalidade e residência não depende das posses dos beneficiados – nós, mas do preço que Alguém já pagou em nosso lugar: Jesus Cristo, que Se entregou para pagar o preço dos nossos pecados.
Pedro, um dos discípulos que caminhou com Jesus, afirmou anos depois do seu Mestre e Senhor ascender aos céus: “Saibam que foram resgatados daquela vida inútil que tinham herdado dos antepassados. E não foi pelo preço de coisas que desaparecem, como a prata e o ouro, mas pelo sangue precioso de Cristo, como o de um cordeiro sem mancha nem defeito. Ele tinha sido destinado para isso, ainda antes da criação do mundo, e manifestou-se nestes últimos tempos para vosso bem.” (1 Pedro 1:18-20, BPT)
Há décadas atrás ouvia-se cantar: “Quem é este povo? Que povo é este? Este é o povo que vai morar no Céu.” E, é verdade! “Porque são geração escolhida, sacerdócio real, nação santa, povo que pertence a Deus para proclamar as admiráveis obras daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa. Antes, nem eram um povo e agora são povo de Deus. Antes, não conheciam a misericórdia de Deus e agora alcançaram essa misericórdia.” (1 Pedro 2:9-10, BPT)
Temos, mais que um visto dourado, um visto precioso, caro, impagável e que não se corrompe nem se negoceia – a entrada nesta vida abundante, livre e eterna, uma vida que se “respira” agora, como um vislumbre daquilo que iremos desfrutar um dia na totalidade.
Agora, temos um aperitivo desse lugar. Estamos aqui, mas os nossos olhos estão em Jesus, o nosso coração está na expectativa de ir ter com Ele, enquanto caminhamos e chamamos outros para vir connosco.
Pedro afirma também, inspirado pelo Espírito Santo: “Queridos amigos, peço-vos como a estrangeiros e emigrantes neste mundo que se afastem dos desejos mundanos que combatem contra a alma. Tenham bom comportamento no meio dos que não conhecem a Deus. (1 Pedro 2:11-12a, BPT)
O desafio é este: aceita a oferta mais preciosa que o mundo alguma vez conheceu. Aceita Jesus, recebe o presente da salvação e caminha com Ele e com a Sua igreja até à pátria celestial, que Ele ganhou para quem O escolher.

Ana Ramalho Rosa

* “O que é um visto ‘Gold’?”, Jornal de Notícias, publicado a 13 de novembro de 2014, www.jn.pt, consultado a 16 de novembro de 2014.

in revista Novas de Alegria, fevereiro 2015

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”