Quando menos é mais...

Sei que não faz sentido. Como é que menos, pode algum dia, passar a valer mais? Vamos lá deixar de brincar, algo negativo nunca pode vir a ser bom. Certo? Algo que que é menos, que é fraco, mau ou básico jamais pode vir a valer alguma coisa. É ou não é assim?

Normalmente é isto que pensamos. Vivemos com uma carga de “querer mais”, um desejo tão grande de ter as novidades todas, que nem paramos para pensar… E é isso mesmo que tu e eu vamos fazer neste momento. Já paraste para pensar que o teu menos hoje, é mais do que muitos reis e rainhas teriam? Casa de banho, água canalizada e potável, colchão macio, possibilidade de viajar de um lado ao outro da cidade rapidamente…Parecem-nos coisas tão básicas, tão “menos”, mas que na verdade são um “mais” na nossa vida. De facto, somos formatados pela televisão, pelas marcas e pelo ambiente em que vivemos; e formatados para buscar uma satisfação… Ter sempre mais! Querer mais! Temos que consumir sempre mais, ser sempre mais do que os outros… Má ideia!


O problema não é termos coisas, mas sim vivermos para elas. Fazermos delas os nossos ídolos privados (ou até mesmo públicos) e sentirmo-nos bem com isso. Tiramos selfies com a camisola novinha da marca X, fazemos posts para promover o quão importante é termos isto ou aquilo. Olha bem à tua volta, os 80 mais ricos do mundo vivem com tanto dinheiro como os 3,5 mil milhões mais pobres do mundo (sim leste bem 3 500 000 000 de pessoas). E tu, provavelmente, vives com mais do que boa parte das pessoas no mundo. Só nos EUA, cerca de 10 milhões de pessoas (ou seja, basicamente o número de habitantes do nosso país), vivem com menos de 2€ por dia. E o que é que nós temos a dizer sobre isto? Como é que nós, que cremos em Jesus, podemos marcar a diferença?

Valorizar mais o nosso enriquecimento material do que a ajuda ao próximo, não só não é algo esperto, como é basicamente mau. Deus chama-nos para olharmos para o Seu Reino, aqui e agora (Mateus 6:25-34). Ele não nos manda preocupar com comprar o último modelo de ténis da nossa marca preferida, mas ajudarmos órfãos e viúvas (Tiago 1:27), estrangeiros e pobres (Deuteronómio 24:14,17). Ele quer que façamos algo. Por exemplo, vivermos com menos 1€ por dia para auxiliar o próximo não é perder. É ganhar. É aqui que menos se torna mais. O menos transforma-se em mais quando entregamos a Deus o que temos e procuramos viver de modo fiel, sincero e atento às necessidades dos que sofrem. Tanto em África, como na Ásia, como na porta ao lado ou na nossa turma.

Queres ter mais na tua vida? Ambicionas uma vida cheia de momentos marcantes e de impacto? Queres viver a vida ao máximo? Então faz como Paulo: “Aprendi já a viver em todas as circunstâncias: tanto na fartura como na fome; tanto no conforto como nas privações. Posso suportar todas as coisas com a ajuda de Cristo, que é a fonte da minha força.” (Filipenses 4:12-14, OL)


Ricardo Rosa



in revista BSteen, julho 2015

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda