07 janeiro 2016

Ano Novo, vida não tão nova

Costumamos dizer muitas vezes, “Ano Novo, vida nova”. Ultimamente, este ditado popular levou-me a pensar de facto, se cada vez que muda o ano, é suposto a nossa vida mudar. E tu? O que achas? Enquanto não me respondes, ficas a conhecer aquilo que penso em relação ao assunto…

À medida que o tempo passa, envelhecemos. Passamos por fases da vida diferentes, cada uma com as suas características. Desde o pré-adolescente que ainda não deixou de ser criança, ao adolescente rebelde e das causas, até ao jovem preocupado com o seu futuro… Isto para ficarmos aqui nas idades mais baixas! Este envelhecimento não é mau, aliás até é muito bom, é sinal de que vais crescendo e amadurecendo, física, emocional e (sobretudo esta parte não pode falhar) espiritualmente. 


E aqui é que entra a dica… Apesar de com o passar dos anos, podermos atingir etapas da nossa vida que sejam novas, o que é suposto ser algo novo mas que se mantém continuamente em nós são o respeito profundo por Deus (Provérbios 9:10), o amor de Jesus (Efésios 5:2) e a presença do Espírito Santo (Gálatas 5:22,23). É quando vivemos com estas três marcas fundamentais, que podemos dizer que todos os dias vivemos uma vida nova.

A cada dia que passa, existe uma nova oportunidade para louvarmos Deus, para amarmos alguém como Jesus amou e para deixarmos que o Espírito Santo se manifeste na nossa vida. E como cada dia é diferente do anterior, as oportunidades, pessoas, conversas ou momentos também vão ser.

Concentra-te nisso! Procura seguir os conselhos que Paulo deu a Timóteo (2 Timóteo 2:20-22) e deixa que Deus te use, para que mais pessoas possam viver uma vida sempre nova, mesmo com o passar dos anos. 

Que este novo ano seja cheio de bênçãos para todos nós e que possamos todos conhecer mais Deus, para O fazer ainda mais conhecido. Seja em casa, no bairro, na escola, no trabalho, onde quer que estejamos…

A tua vida não muda quando muda o ano. A tua vida muda quando te encontras com Jesus! Passa a palavra!

Ricardo Rosa


in revista BSteen, janeiro 2016
Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Sem comentários: