Não mata, mas mói…

Já diz o ditado popular, “não mata mas mói”. Normalmente, aplicamos esse ditado quando passamos por algo que não nos manda totalmente abaixo, mas que ainda assim consegue causar alguns estragos.

Por vezes, no nosso percurso de vida, passamos por momentos assim. Eu passei um em outubro do ano passado, quando o meu filho andou doente durante duas semanas. Problemas sucessivos, cansaço acumulado, muito stress e pimba! Não matou, mas moeu (e de que maneira).


A verdade é que nesse processo, eu, a minha esposa e o meu filho, tivemos Deus a tomar conta de nós, além de contarmos com muitas orações de muitas pessoas. Muitas pessoas (amigos, família, igreja local, etc.) passaram connosco por esse processo difícil. Não estivemos sozinhos e nas lutas que temos tido depois, sabemos que não vamos estar sozinhos. Aprendemos a lidar com essa situação, porque Deus nos ajudou.

Claro que preferimos não ter que lidar com essas chatices! E como é óbvio, não tenho grande gosto em passar por dificuldades. Mas precisamos de ter a nossa esperança em Jesus. Ele é a nossa segurança. Todos vamos enfrentar momentos difíceis na vida. Uns mais do que outros, mas tempos que nos vão moer. O aviso já vem de trás: “Têm muito que sofrer no mundo, mas tenham coragem! Eu venci o mundo!” (João 16:33, BPT).

Felizmente, as coisas não acabam em sofrimento e Paulo deixa-nos um conselho. Algo que eu, tu e qualquer pessoa deve colocar em prática, confiando diariamente em Deus: “Posso enfrentar todas as dificuldades naquele que me fortalece.” (Filipenses 4:13, OL).

Se estás a passar por momentos difíceis, não percas a esperança. A ajuda continua aí e tu não tens que passar por isto sem apoio. Fala com alguém maduro ou em quem confies. Pede que ore por ti e contigo. Se tiveres vergonha de partilhar as tuas dificuldades pessoalmente, fala connosco. Não fiques num local sombrio a sofrer. Cola-te a Deus! Faz esta oração e agarra a mão que Ele te vai estender:

“Eu estou aflito e necessitado. Corre em meu auxílio, ó Deus. Só tu podes ajudar-me e libertar-me. Senhor, não me faças esperar.” (Salmo 70:5, OL)



Ricardo Rosa


in revista BSteen, junho 2016. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”