"Podemos não voltar, mas vamos!"

Li e reli a frase, um dos lemas dos bombeiros. Estava escrita numa rede social, no mural de um amigo, como legenda da foto de um bombeiro. 

Este verão os incêndios foram avassaladores. O calor foi muito, e o fogo, ateado por mãos criminosas ou perturbadas, por descuido ou por outras razões, levou matas, culturas, animais, casas, haveres... e vidas. Uma onda de solidariedade varreu o país e, por todo o lado, apareceram palavras e ações de ajuda às corporações de bombeiros e às regiões mais afetadas.

"Podemos não voltar, mas vamos!". E eles foram, como vão todos os anos, arriscar a vida (“vida por vida” é outro dos seus lemas) para salvar matas, culturas, animais, casas, haveres... e vidas. “Enquanto há vida, há esperança” diz o ditado. O valor da vida humana é tremendo e, mesmo quando tudo o resto cai como um castelo de cartas, a nossa existência continua a ser uma semente de esperança para o futuro.



O facto de enfrentar mil e um perigos para salvar vidas no meio de um incêndio é de um valor incalculável. E quando falamos de salvar vidas numa perspetiva eterna? É interessante que as últimas palavras de Jesus, antes de ascender aos céus, todas davam aos discípulos um mote claro: salvar vidas. Vamos relembrá-las?

Mateus regista: “Então Jesus aproximou-se deles e declarou: ‘Foi-me dado todo o poder no Céu e na Terra. Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos. Batizem-nos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo quanto eu tenho mandado. E saibam que estarei sempre convosco até ao fim dos tempos.’” (28:18-20, BPT, sublinhado da autora)

E em Marcos, lemos: Vão por todo o mundo e preguem a boa nova do evangelho a todas as criaturas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.” (16:15-16, BPT, sublinhado da autora)

Finalmente, Lucas escreve no livro de Atos dos Apóstolos, o que Jesus diz. “Mas receberão poder ao descer sobre vós o Espírito Santo e serão minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judeia e Samaria, e até aos lugares mais distantes do mundo. (1:8, BPT, sublinhado da autora)

Ao continuarmos a leitura de Atos dos Apóstolos, entendemos claramente que a ação da igreja ia neste sentido: ir, testemunhar, levar a mensagem transformadora do Evangelho para que mais e mais pessoas da sua geração fossem salvas de uma vida longe de Deus, aqui e na eternidade. Os primeiros cristãos, como muitos pelos quatro cantos do mundo desde aquela época até hoje, deram (e dão!) a sua vida para que Cristo, através deles, salvasse (e salve!) vidas. Enfrentaram (e enfrentam) perseguição, escárnio, tortura e todo o tipo de contrariedades. Alguns, mesmo a morte.

Quanto vale uma vida, afinal? Estou disposta a dar a minha vida para que outros tenham a vida eterna e abundante que eu tenho? Ou o meu cristianismo é só mais um ideal bonito, apenas para autossatisfação? A vida com Deus é maravilhosa, mesmo que espinhosa, alegre, mesmo com lágrimas, vitoriosa, mesmo com lutas. Temos Deus connosco, sempre, em todos os momentos e circunstâncias. Temos a Sua proteção, segurança, presença e cuidado. Mas a vida cristã é mais do que isso. Não tem a ver comigo, tem a ver com os outros – salvos para salvar, “vida por vida”.

Lembremos qual é a vontade de Deus. “Ele quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. É que há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, que é homem e deu a vida por todos. Esta foi a mensagem que Deus revelou na altura própria.” (1 Timóteo 2:4-6, BPT)

Deus conta comigo e contigo. Partilha a tua fé com os que te rodeiam, através as tuas ações, do teu testemunho silencioso, da tua presença, mas também através das tuas palavras e pela Palavra. Pede a Deus a compaixão que precisas e o poder para ser uma testemunha da mensagem mais fantástica que o mundo precisa ouvir. E fica de coração aberto para os desafios que Deus pode e quer fazer-te. "Podemos não voltar, mas vamos!".

“O sucesso do testemunho está em falar de Jesus, no poder do Espírito Santo, deixando os resultados com Deus” – Bill Bright, Testemunhando sem Medo, Editora Candeia.

Ana Ramalho Rosa

in revista Novas de Alegria, novembro 2016. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

A (des)ilusão da autoajuda