Um krónico caso de falta de vista

 Já dizia Gandhi (e pelo caminho mais uma série de gente), “Olho por olho e o mundo vai acabar cego”. E com alguma razão. Quantas vezes respondemos aos outros na mesma moeda com que nos trataram? E não falo pela positiva, normalmente, temos aquele instinto de bicho mal-humorado numa manhã de 2ª feira com um teste logo à primeira hora da manhã… temos que ter cuidado, os olhos do mundo estão em cima de nós.

Somos sal e luz, mas não queremos ser luz que cegue, pelo contrário, queremos ser aquela luz que gentilmente serve de guia no escuro, quando não existe mais luz nenhuma. E quando tanta gente julga ter os olhos bem abertos, Paulo já nos avisa há mais tempo ainda “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe que não caia” (1ª Coríntios 10:12, ARC). Porque é fácil cair, é fácil tropeçar e apontar o dedo, esquecendo que cada vez que apontamos o dedo a alguém, temos três virados contra nós. Escreveu o autor d’O Principezinho, “O essencial é invisível aos olhos” e também não está de todo errado. Temos uma facilidade brutal em ficar fixados em coisas materiais.


Olha para o povo hebreu acabado de ser libertado do Egipto! 400 anos de escravidão, maus tratos, filhos mortos, sofrimento… E no meio dos milagres e da preservação que Deus realizou nas suas vidas, decidiram queixar-se de que o maná não era bom e que se tivessem ficado no Egipto (partindo princípio de que ainda estariam vivos, certo?) podiam estar a desfrutar das meloas, cebolas, pepinos e alhos (Números 11:4-6)… Ficamos fixados nas coisas materiais e esquecemos aquilo que é essencial. A fé, o amor e a esperança em Deus (1ª Coríntios 13:13).

Para terminar, um grande homem da Igreja, chamado Ambrósio (que não era o motorista do anúncio dos chocolates) disse uma vez “Não dês fé unicamente aos olhos do teu corpo”. Porque a fé é onde assenta tudo aquilo que esperamos mas não vemos (Hebreus 11:1), tal como aquele povo esperou 400 anos por libertação. Mas para haver libertação, foi preciso haver um libertador, alguém que foi usado por Deus para servir de luz a quem não via na escuridão. Deus está a chamar a tua geração para mudar este mundo marcado e desfigurado pelo pecado. Deus quer usar a tua geração, com rapazes e raparigas que O sirvam de todo o coração, para libertarem pessoas da violência, das drogas, dos vícios, dos traumas, do ódio, da tristeza. Abre os olhos. E vê para onde Ele te quer levar…

Ricardo Rosa

in revista BSteen, abril 2017. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”