Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2011

Uma morte angélica

Imagem
Ele era o sucesso em pessoa. Bastava olhá-lo. Era o maior, e pensava que podia controlar tudo pela legitimidade adquirida numa conta bancária com muitos zeros... à direita. Faleceu... sim, mas não teve uma morte angélica. O seu nome? Podia ser Angélico, Marco, António, Luís... ou qualquer outro. Não sabemos. Quem nos contou a história não se preocupou com esse detalhe. Sabemos, porém, o nome de outro homem que morreu na mesma altura... não era o “pendura” do luxuoso meio de transporte do rico, mas vivia pendurado na boa vontade e piedade do presunçoso magnata. Vejamos o que nos contaram... “Havia um rico que se vestia com fatos caríssimos e todos os dias fazia grandes festas. Havia também um pobre, chamado Lázaro, coberto de chagas, que costumava ir para a porta do rico, para ver se ao menos comia as migalhas que caíam da sua mesa. Até os cães vinham lamber-lhe as chagas. O pobre morreu e foi levado pelos anjos de Deus para junto de Abraão. O rico também morreu e foi enterrado. No lugar …

Buffet

Imagem
Se nunca foste pelo menos já ouviste falar daqueles restaurantes com buffet, com comida à descrição. A vantagem do buffet é que podes escolher o que queres comer... e não és obrigado a comer aquilo que não gostas. Bacalhau com natas ou lasanha? Picanha ou marisco? Sopa ou salada? Não importa! A escolha é tua.
Em muitas áreas da vida, as coisas funcionam assim. Podemos escolher uma camisola azul ou verde, um caderno com capa lisa ou foto, fazer ginástica ou jogar futebol... mas há outras coisas em que não podemos escolher: a família em que nascemos, o estado do tempo, etc.
Também não podemos usar a Bíblia como se fosse um buffet. Ou seja, escolher esta promessa e por de lado a condição da promessa. Escolher um versículo ou capítulo isolado para justificar a nossa forma de pensar... e não ligar a outras passagens sobre o mesmo tema, porque podem são ser ao meu gosto.
Paulo, quando escreveu aos manos em Roma, explicou que a vontade de Deus é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12:2)... mas…