20 outubro 2016

"Antigamente é que era..."

“Antigamente é que era...” e soltou um suspiro nostálgico antes de debitar o seu amargo de boca pelo aqui e agora. Agarrado ao seu passado, escapava pelo olhar cabisbaixo uma nostalgia doentia. A paixão que outrora lhe dava o vigor e a coragem, fora transformada numa queimada que o deixou em ruínas como o templo de Salomão, em escombros, como ficara Jerusalém depois do povo ser levado em cativeiro. 

Mas, o que se passou? Não foi num estalar de dedos, mas um processo doloroso. Era criança quando partiu de Jerusalém e agora, já velho, regressava à sua terra, mas já nada era como dantes. Onde estava a glória da grande cidade e do seu templo? O povo de Jerusalém pensava que a presença de Deus era garantida e que a Sua glória nunca iria deixar o Templo. Pensava que naquela cidade estaria protegido, independentemente do que fizesse e de como vivesse, mas isso não aconteceu. Não porque Deus os tivesse abandonado por “dá cá aquela palha”, mas porque eles deixaram de viver para Lhe agradar, não quiseram arrepiar caminho apesar de muitos avisos dos profetas, que eles rejeitaram consequentemente. Queriam ter os benefícios mas não o Deus dos benefícios. E Deus, aos poucos, deixou-os à mercê das suas decisões (uma leitura atenta do livro de Ezequiel, capítulos 8 a 11, ajudará a compreender este processo).

13 outubro 2016

O meu mês favorito

Outubro é dos meses que mais gosto. Normalmente, gosto deste mês porque eu faço anos, um grande amigo meu (que podes conhecer no tema de Kapa deste mês) faz anos e o meu filho também faz anos. E fazer anos relembra-me de que celebrar o nascimento de alguém, é basicamente celebrar a vida dessa pessoa.