01 novembro 2013

Livre... de mim mesmo?


Já passaram uns mesitos desde o retiro. Na altura disseste, convicto “Desta vez é que é! Vou seguir Jesus custe o que custar...”. A verdade é que tentaste, mas depois de alguns dias, voltou tudo ao mesmo... “A culpa é do diabo! Ele passa a vida a tentar-me...”, dizes. Mas será que a culpa é mesmo toda dele?

Costumo dizer que “o diabo tem as costas largas”. É verdade que ele é inimigo de Deus e nosso. Mas também é verdade que ele não tem a culpa das nossas más escolhas. Pensa nisto:

1) Ser tentado é uma coisa, pecar é outra. Jesus, quando ensinou a oração do Pai nosso, disse: “não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal.” (Mateus 6:13a, ARA).

2) Se brincas com o fogo, queimas-te. Quando perguntamos “que mal faz?” em vez de “que bem me faz?”, procuramos desculpas e esquemas para vivermos no limite, sem pensar no que Deus pensa do assunto, estamos a criar o ambiente para pecarmos. O diabo quase não precisa fazer nada, porque nós próprios nos estamos a pôr-nos na “boca do lobo”. “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.” (Tiago 4:7)

3) Guarda o teu coração. “Cria em mim, ó Deus, um coração limpo, e dá-me uma mente renovada e firme.” (Salmo 51:10, OL) “O que acontece é que, quando uma pessoa é tentada, são os seus próprios desejos maus que a seduzem. Depois, essa maldade, se lhe cedemos, dá nascimento ao pecado; e este, por sua vez, provoca a morte.” (Tiago 1:14-15, OL)

Como canta Michael W. Smith, num dos seus últimos álbuns: “Tu salvas-me; Salvas-me de mim mesmo; Não há mais ninguém a quem me possa chegar; Salva-me; Salva-me de mim mesmo; Não há mais ninguém que me torne livre”*

A verdadeira liberdade é esta: viver com Deus e para Deus, sabendo que Ele está connosco, Ele nos guia, Ele quer o melhor para nós, e viver num respeito amoroso por Ele, confiando que a Sua vontade para nós não é castradora da nossa felicidade mas é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12:2)

Estou contigo!

Ana Ramalho Rosa



* “Save me from myself”, Música e Letra: Lau Hoejen Nielsen, Soeren Balsner, Morten Thorhauge, Álbum “Wonder”, Michael W. Smith, 2010

in revista BSteen, novembro 2013

Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Sem comentários: