“Tá a escaldar!”

Falar sobre intimidade e sexualidade com adolescentes é sempre uma aventura. E se lhe acrescentarmos o facto de serem cristãos, então é algo só mesmo para pessoal com coragem (e loucura) para isso. É qualquer coisa na linha de querer rebentar com a Death Star do Darth Vader, armado com um palito e sem saber bem se não aparecem Stormtroopers a mais para nossa nave.

Já sei que existe gente que discorda do que escrevi acima. Mas faz lá um exercício de reflexão e pensa: quantas vezes é que já falaram contigo sobre temas “quentes”, de modo direto (e direto não é falar sujo, nem com termos ordinários), esclarecido (sem histórias que tu percebes logo que não encaixam no que procuras saber) e biblicamente são (isto é, com base nas Escrituras e naquilo que Deus verdadeiramente diz)?



O que fazemos neste número, é falar de algumas coisas importantes demais para serem ignoradas, mas da maneira que descrevi acima. Somos diretos (senão o tema pornografia nem entrava), procuramos esclarecer (artigo brutalíssimo da Paula Pereira, leiam bem) e consistentes com o que Deus quer de nós nesta área (senão não tínhamos convidado estes autores). Este é um número que “escalda”, porque os temas não são de conversa de café ou coisas light. A pornografia é um assunto sério, cria dependência e estraga vidas. O sexo (sim, estás a ler bem, s-e-x-o) entre duas pessoas, conforme Deus o designa para o ser humano, não é algo que possamos vender (ou pelo menos, é qualquer coisa tão especial que deve ser desfrutado e gozado dentro do tempo, espaço e meio adequado) e não tem nada a ver com Hollywood. 

Por isso, esta edição não está aqui para provocar, para atiçar hormonas (que na vossa idade já andam aos saltos como se tivessem bebido RedBull) ou ferir ninguém. Pelo contrário… estamos cá para ajudar, sem medos e com a preocupação de pedir a Deus que cada texto possa servir de bênção, esclarecendo, avisando, explicando aquilo que muitos e muitas pensam em perguntar, mas sentem vergonha de o fazer.

A intimidade é para levar a sério, não vás pelos escaldões fáceis da sexualidade barata e popularucha. Espera em Deus, porque no Seu tempo, todas as coisas têm um gosto melhor.


Ricardo Rosa

in revista BSteen, agosto 2017. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral