Óscar esquecido no WC?

“O actor britânico Colin Firth foi à casa de banho, depois da cerimónia de entrega dos Óscares de Hollywood, e por lá deixou a estatueta de Melhor Actor por si ganha pela interpretação do rei George VI, no filme ‘O Discurso do Rei’.”1
“O Óscar (...) é uma pequena estatueta de 35 cm de altura pesando quase quatro quilogramas, feita de estanho folheado a ouro de catorze quilates (...) o seu valor simbólico é incomensurável, pelo prestígio profissional e popular que concede ao premiado.”2
Inédito. Alguém esquecer-se do prestigiado prémio, ainda por cima no WC! Talvez não seria noticiado ao tratar-se de outro objecto, mesmo que a história se passe com Colin Firth, mas é o valor e o mérito inerentes à estatueta dourada que tornam a notícia insólita.
O que não é assim tão raro, mas que está tantas vezes “maquilhado” com entretenimento, com bebida e máscara social, é deixarmo-nos levar pela autopiedade e ficarmos reféns do esquecimento alheio. De olhos cabisbaixos, pensamos ser meros seres utilitários, que seguem uma rotina, sobrevivem na precariedade, e se enchem de coisas (e dívidas) para ter momentos de aparente felicidade – porque se sentem esquecidos ou porque se isolam dos demais.
Chamas-te Óscar, Célia, Nuno, Sandra, Luís ou Marta, seja qual for o teu nome, não existes por acaso. Talvez a tua história de vida te diga o contrário mas, o Homem que mudou a minha história e a de tantas pessoas ao longo dos Séculos, diz através das Suas acções e nas Suas palavras: “Tu tens valor!”.
Jesus é a expressão do interesse de Deus por todos nós, mas também por cada um. “Deus amou de tal modo o mundo que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele crer não se perca, mas tenha a vida eterna” (João 3:16, versão “A Bíblia para Todos”). Sim, Ele veio, viveu e morreu para que pudéssemos ter um relacionamento com Deus, que nos tira do esquecimento e nos capacita para sairmos do conformismo do isolamento, plantando o Seu amor no nosso coração para que nos relacionemos saudavelmente uns com os outros.
Suponham também que uma mulher tem dez moedas de prata e perde uma delas. Que é que ela faz? Acende a lâmpada, varre a casa e procura cuidadosamente até a encontrar. Quando a encontra, diz às amigas e vizinhas: ‘Alegrem-se comigo, porque já encontrei a moeda perdida.’ Da mesma maneira, digo-vos que há alegria entre os anjos de Deus cada vez que um pecador se arrepende.” (Lucas 15:8-10, versão “A Bíblia para Todos”).
Nesta história que Jesus contou, vemos que mais do que ouro ou prata, fama ou prestígio, a nossa vida tem valor. Esse valor não é mensurável, nem comparável. A chave é o arrependimento. É assumir, humildemente, que temos vivido à nossa maneira e queremos e precisamos de ajuda para mudar de rumo – ajuda do nosso Criador.

Se estás a ler estas palavras, e se não conseguires reter mais nada, lembra-te: Deus procura-te. Ele deseja que O conheças e te tornes um filho que sabe que é amado, querido, cuidado, orientado e se necessário corrigido, mas nunca esquecido... e quando te entregares nas mãos de Deus, vai haver festa no Céu e no teu coração!
Ana Ramalho Rosa

1 http://www.destak.pt/artigo/89118-colin-firth-esquece-oscar-no-wc  (adaptado)
2 http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%93scar

in revista Novas de Alegria, Maio 2011

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”