Continuo Gaga!

Em Julho, a BSteen tem como capa o tema “Esta LADY deixa-me GAGA”, onde contrastamos a fama espectacular da cantora com a influência sobrenatural de Jesus e daqueles que O seguem.

Tanto a Lady Gaga como outros artistas e bandas de hoje estão a dar a imagem que podemos fazer tudo como, quando e com quem queremos... quanto mais exótico, escandaloso e depravado, melhor. Através dos media e da máquina de marketing que está atrás da indústria musical, algumas figuras trazem consigo de forma assumida símbolos, ideias e estilos de vida completamente contrários àqueles que Deus deseja para nós – uma vida saudável em todos os aspectos. E fazem-no de uma forma muito forte e bem maquilhada. São não apenas anti-sociedade, mas são também anti-Deus – e são populares.

“Eu nasci assim”1, diz o sucesso musical, como se todos estivéssemos condenados a nunca mudar até morrer. As nossas tendências não acontecem por acaso, nem de forma natural. Somos o resultado das características que trazemos quando nascemos, mas também do modo como somos educados, do tipo de ambiente e família que temos... e das decisões que fazemos ao longo do caminho. Não vás em conversas! Tudo o que fazes tem consequências – boas ou más. E a vontade de Deus para a tua vida é “boa, agradável e perfeita” (Romanos 12:2)

A verdade é que se não fazemos o que é bom para nós – a vontade de Deus – estamos a pecar. Isso acontece se assassinamos alguém; se nos envolvemos intimamente com alguém no tempo errado, da forma errada ou com a pessoa errada; se guardamos pensamentos de ódio; se nos deixamos amarrar por vícios, atrás de uma linha, um charro, uma garrafa, uma revista ou um monitor; se nos tornamos rebeldes, arrogantes e egoístas.

Esta propaganda à liberdade sem limites é perigosa, porque quando não há travões na vida o mais fácil é termos acidentes. A verdadeira liberdade é aquele que nos liberta de todas as teorias, propagandas e mentiras (mesmo que cheias de cor, luz e popularidade). Se de algum modo foste também vítima do teu percurso, está na altura de experimentares a verdadeira liberdade.

Infelizmente todos temos áreas em que somos mais fracos. Felizmente Jesus veio para nos perdoar, e nos dar uma nova oportunidade, quando queremos mesmo que Ele seja o nosso Guia.

“Jesus respondeu: Certamente, quem comete pecado é um escravo do pecado. E os escravos não pertencem à família. Mas um filho está ligado para sempre à família. Assim, se o Filho [Jesus] vos libertar, ficarão livres, de verdade.” (João 8:34-36, versão “O Livro”).

Estou contigo!

Ana Ramalho



1 “I was born this way”, parte da letra do tema “Born this way” de Lady Gaga.

in revista BSteen, Agosto 2011

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Teresa — até que todos ouvissem...

5 mitos acerca da chamada a tempo integral

“Tá a escaldar!”