15 setembro 2016

Shiuuu!

Escolher um tema para esta Krónica foi complicado. A mania do Pokemon Go já deu que falar e não é o melhor assunto para abordar como comparação ao evangelismo. Terrorismo? Não… assustados já estão muitos de vocês com o recomeço das aulas! Séries? A sério!? Já temos falado de algumas e tenho amigos que já se meteram comigo por causa disso. Mas então, vamos falar de quê?

Se calhar é a melhor altura para nos calarmos e ouvirmos Deus. Ouvir o que Ele tem para nos dizer sobre o modo como vivemos, como pensamos, como encaramos todas as coisas, todos os dias. Não se trata de nos tornarmos “santos populares”, mas de nos tornarmos mais como Jesus. Em sermos mansos e humildes (Mateus 11:29) num mundo cada vez mais violento. Em sabermos ouvir em primeiro lugar, antes de explodirmos a cada contrariedade e barafustarmos por isso (Tiago 1:19).


Talvez seja tempo de deixarmos Deus ser finalmente Deus na nossa vida. Deixarmos de lado o que vemos, ouvimos e fazemos que não nos aproxime Dele. Não se trata de deixarmos de lado o que é mau publicamente e no nosso segredo, lá em casa, naquele canto escuro em que ninguém repara, mantermos o vício vivo. Trata-se de rasgar (a melhor imagem é mesmo esta, rasgar em pedaços pequenos) o nosso coração, o nosso ego, o nosso “eu” para que Deus nos possa reconstruir de novo (Joel 2:31).

Se calhar, chegou a altura de pararmos tudo, apenas respirar e pedir a Deus que fale. De baixar todo o ruído à nossa volta e ouvirmos Deus tal como Elias ouviu (1 Reis 19:10-18). Uma leve brisa, algo que parece passar despercebido, mas que afinal é tão importante.            


Ricardo Rosa

in revista BSteen, setembro 2016. Texto escrito conforme o novo acordo ortográfico

Sem comentários: